Novembro 08, 2019

Aldeia Piraquê-Açu. Tribo Guarani. Aracruz. Espírito Santo.

Chegamos no horário combinado, o Cacique Karaí-Peru, da tribo Guarani nos aguardava.

Os canais da sensibilidade estavam abertos e plenos para uma experiência que certamente ficará para sempre em nossos corações.

Fomos recebidas na Aldeia Temática , e aos poucos foram chegando os curumins e toda a família do Cacique, também chamado Pedro.

Todos falam nativamente a língua guarani e razoavelmente a língua portuguesa.

Escutamos muitas histórias, andamos até a beira do rio, depois na mata até uma linda árvore com aproximadamente 400 anos, íamos conduzidas por Walter – Werá Djekupé, experimentamos o aroma agradável e o poder terapéutico da resina da Amescla, extraída por ele. 

Conexão entre irmãos, confiança, respeito, amor, apoio, foi o que permeou todo o encontro. Foi tudo tão incrível que não havia outra possibilidade senão a de nos apaixonarmos mutuamente.

De tudo que vivenciamos, o que nos tocou nessa visita, foi o clamor do Cacique – importante estarmos unidos para lutarmos pela preservação de nossa cultura e do meio ambiente para que amanhã possamos nos reconhecer.  

Em novembro, a roda Minas Santo, dará um abraço, com muito respeito e reverência, nesses irmãos, e de mãos dadas dançaremos e cantaremos em união. Eles nos esperam!